METAL PICTURES studio & live photography

GALERIA VIRTUAL PERMANENTE DO FOTÓGRAFO DE ESPECTÁCULOS ANTÓNIO MELÃO, TAMBÉM CONHECIDO COMO CAMERAMAN METALICO. RESPEITE OS DIREITOS DE AUTOR. CONSULTE O FOTÓGRAFO ANTES DE USAR ALGUMA DESTAS FOTOS.

20.7.06

1º GRANDOLA METAL FEST (15 Julho)

Realizou-se no passado Sábado em Grândola o 1º Festival de Heavy Metal com o apoio da Camara Municipal e a Junta de Freguesia da popular Vila Morena.
O público não foi muito, mas era conhecedor e militante ao ponto de ficar desde já marcado outro festival para 2007.

GRÂNDOLA METAL FEST – a ferro & fogo
O espaço da Feira de Exposições de Grândola foi o lugar escolhido para o 1º Grândola Metal Fest. Em dois palcos montados lado a lado debitaram-se as mais pesadas sonoridades do heavy, sobretudo por bandas portuguesas, já que os franceses cabeças de cartaz Dagoba, não compareceram por o autocarro onde iam viajar estar avariado. Os portugueses Congruity também faltaram.
Jogando forte com a prata da casa a Comissão Organizadora Viva O Metal construiu um cartaz inteligente onde pontuavam quatro das melhores formações de thrash metal da actualidade – os Seven Stitches a jogar em casa, os Shadowsphere do Seixal, os Switchtense da Moita e os Grimlet da Figueira da Foz.
O som arrancou no palco principal cerca das 22 horas com os grandolenses Cryptor Morbious Family, que se mostraram um pouco verdes a precisar de mais garagem, mas debitando muita genica e perspicácia. Depois no palco secundário foi a vez da formação The Ladder vindos de Lisboa e com uma demotape “The Mindless And The Complete Stain” na bagagem mostraram valor e receberam muitos aplausos.
Quase sem intervalo, que permitisse aos presentes beber uma simples cerveja, os palcos foram sendo sucessivamente pisados pelos W.A.K.O. vindos de Almeirim com uma batida bem técnica e mostrando o seu mais recente trabalho “Symbiotic Existence” esta valiosa banda de thrash deu cartas.
De seguida os Switchtense também estiveram muito bem mostrando uma formação aguerrida que provocou algum burburinho e muito mosh junto dos presentes.
No palco principal os Seven Stitches debitaram perto de 45 minutos de concerto mostrando o seu último EP “The Face Alone Does Not Reveal The Man” e a assistência cresceu a olhos vistos. Muito bons e muito bem tanto a nível de som como de técnica.
No palco secundário os Grimlet da Figueira da Foz fecharam as hostilidades da melhor maneira, debitando músicas da sua demo “Darkness Shouds The Hidden” e ainda uma versão de uma música de Pantera que não deixou ninguém indiferente.
Para fechar o festival, tocaram no palco grande os Shadwsphere, promovidos a cabeça de cartaz e a banda do guitarrista Luis Goulão não se fez rogada e mostrou a sua garra debitanto maioritáriamente músicas do novo álbum “Hellbound Head”.
A banda conta agora com o famoso guitarrista Nuno Loureiro (também dos Painstruck) na segunda guitarra e ainda um teclista que dá uma roupagem aos temas muito agradável.
O festival tem pernas para andar, tem apoios, tem público interessado, tem um espaço espectacular e uma comissão organizadora que sabe do assunto. O heavy dos fãs para os fãs sem intermediários.
O DA agradece desde já o convite para fazer a cobertura deste evento e a hospitalidade. Em Grândola sinto-me em casa!
Para o ano façam só um palco e se tiverem posses 2 dias. Incluam vários estilos de metal e uma banda espanhola por exemplo.
CM

* as fotos estão em slide show aqui

1 Comments:

  • At 4:19 da tarde, Blogger WildFlower said…

    Excelente Mestre!
    Grandola pelos vistos Rulou bastante! As fotos estão fantásticas mais uma vez...
    Espero wue esteja a correr tudo bem ctg!
    Beijos

     

Enviar um comentário

<< Home

 
Ytsejam Records - The Official Dream Theater Bootlegs